Documente hist√≥rias que valham a pena compartilhar ūüóí

David Sena

David Sena

Cirurgi√£o Pl√°stico
Autor do livro ‚ÄúO que voc√™ precisa saber sobre Cirurgia Pl√°stica‚ÄĚ
CEO Gest√£oDS
Investidor-anjo em health tech
David Sena

Documente histórias que valham a pena compartilhar

1. Micro conte√ļdo

‚ÄúN√£o importa o que voc√™ fa√ßa, seu trabalho √© contar sua hist√≥ria.‚ÄĚ – Gary Vaynerchuk

Uma das melhores maneiras de cativar a atenção de alguém é convidando-a ao seu mundo através de histórias.

Contudo, nem todo o mundo sabe como desenhar e organizar simples histórias.  As vezes estão até mais interessados em falar sobre si mesmos do que educar ou entreter a sua audiência.

Uma história pode ter diversos formatos, desde apenas uma imagem, uma sequência de imagens, narrativas, audio e vídeo. Hoje com as redes sociais e as plataformas, existem várias formas de contar histórias, todas elas com suas características nativas e linguagens próprias.

Os micro conte√ļdos particularmente, s√£o formas elegantes e simples de contar partes de hist√≥rias que ao final de uma linha de racioc√≠nio, convida o expectador a pensar e a participar do seu mundo. Ou seja, s√£o pequenas amostras de um todo.

2. Tirinhas (Cartoon Strip)

“Grandes hist√≥rias acontecem para aqueles que podem cont√°-las”- Ira Glass

Sou fascinado pela capacidade dos cartunistas de tirinhas (strip cartoon) resumirem hist√≥rias inteiras em apenas tr√™s ou quatro quadrinhos. Usualmente encontramos uma estrutura que pode ser resumida em um convite a pensar ūü§Ē, chamada de aten√ß√£o para uma l√≥gica no pensamento e uma conclus√£o.

Cada quadrinho isolado pode ter sua pr√≥pria hist√≥ria individual se visto sozinho, e tamb√©m, frequentemente pode at√© ser a √ļnica¬†contada. Como faz parte de uma tirinha, se voc√™ acompanha as figuras acaba sendo uma sequ√™ncia de pequenas hist√≥rias que v√£o envolvendo o leitor. Logo, quando juntas formam um todo at√© uma conclus√£o ou ‚Äúmoral da hist√≥ria‚ÄĚ.

fonte: https://tirasarmandinho.tumblr.com/

fonte: https://i.pinimg.com/originals/ee/91/7c/ee917c5cce488c53f7440f864128495f.jpg

Voc√™ j√° parou para pensar em usar essa mesma l√≥gica para contar as suas hist√≥rias nas redes sociais? Ent√£o, √© como se voc√™ estivesse preparando a sua audi√™ncia com pequenas amostras de conhecimento para chegarem em um desfecho final ou na sua¬†“moral da hist√≥ria‚ÄĚ.

3. Nocaute

‚ÄúDifferent platforms allow you to highlight different aspects of your brand identity, and each jab you make can tell a different part of your story… Micro-Content + Community Management = Effective Social Media Marketing‚Ä̬†– Gary Vaynerchuk

Em seu livro¬†‚ÄúJab Jab Jab Right Hook ‚Äú,¬†Gary Vaynerchuk¬†nos convida a criar diversos micro conte√ļdos que possam conversar entre si e assim abrir e preparar terreno para um pedido, venda ou conte√ļdo final. Portanto, a l√≥gica √©¬†envolver, entreter e educar¬†as pessoas com conte√ļdo relevante, na linguagem nativa das plataformas sociais que voc√™ escolher e assim poder contar hist√≥rias.

Esses conte√ļdos de prepara√ß√£o √© o que ele chama de¬†“Jabs”¬†e o conte√ļdo principal ou de venda de¬†“Right Hook‚ÄĚ.¬†√Č uma clara refer√™ncia a uma luta de boxe quando voc√™ utiliza golpes mais fracos para preparar a entrada dos seus melhores socos e conseguir o Knockdown ou Knockout.

Um outro ponto que deve tamb√©m ser profundamente analisado, al√©m de desenvolver um √≥timo conte√ļdo, √© que ele deve ser otimizado para a plataforma ou para a forma como voc√™ pretende fazer a distribui√ß√£o. Apesar de, o item mais importante da comunica√ß√£o ser o conte√ļdo, o contexto √© quem fornecesse a possibilidade da sua voz ser ouvida.

 4. Sobre o que vou falar?

Quando falo sobre conte√ļdo, a escolha mais l√≥gica √© falar sobre o que voc√™ tem paix√£o e para o p√ļblico com quem voc√™ quer se relacionar. O objetivo n√£o √© inventar conte√ļdo, mas sim¬†documentar o seu trabalho e compartilhar¬†de uma forma que seja √ļtil para algu√©m.

Agora somando tudo que n√≥s conversamos, imagine se voc√™ criasse micro conte√ļdos como se fossem tirinhas de cartoon com tr√™s ou quatro quadrinhos, que isoladamente tem sua voz e quando colocados juntos contam uma √ļnica hist√≥ria. Cada quadrinho pode ter um objetivo de comunica√ß√£o bem definido como na seguinte linha de racioc√≠nio:

  1. Imagem –¬†Um convite a pensar.¬†Um alerta ou mesmo uma pergunta. Voc√™ j√° pensou sobre isso?
  2. Imagem –¬†Um chamado.¬†Se voc√™ quer saber mais sobre isso, preste aten√ß√£o em mim.
  3. Imagem –¬†Educa√ß√£o.¬†Posso te ensinar um pouco sobre isso, e te ajudar a entender.
  4. V√≠deo –¬†Autoridade.¬†Se voc√™ n√£o conseguir sozinho, sou a pessoa mais indicada para ajudar voc√™.

5.Aplicação prática

Como m√©dico tento aplicar esse conceito para tentar entregar o melhor conte√ļdo poss√≠vel aos meus pacientes, contando pequenas hist√≥rias e educando sobre como conseguir os resultados que eles desejam de uma forma segura e sensata.¬†O objetivo √© ajudar as pessoas atrav√©s da educa√ß√£o, inspirar a mudan√ßa, fomentar o pensamento positivo e a a√ß√£o.

Um exemplo real da aplicabilidade dessa estrat√©gia √© essa sequ√™ncia recente de conte√ļdo veiculada na minha conta do Instagram (@dsdavidsena). Essa plataforma tem uma linguagem nativa que √© feita atrav√©s de imagens de alta qualidade, v√≠deos curtos (menores que 60 segundos), pouco conte√ļdo em texto e v√°rias marca√ß√Ķes com #(hashtags).

Cada imagem tem sua pr√≥pria hist√≥ria individual sobre o tema envelhecimento e estrutura√ß√£o facial. Toda a l√≥gica estrat√©gica foi constru√≠da por engenharia reversa de como seria o v√≠deo final. J√° que √© normalmente o conte√ļdo mais relevante.

As imagens que antecedem a veicula√ß√£o do v√≠deo s√£o prepara√ß√Ķes e uma introdu√ß√£o ao assunto que √© discutido ao longo da time line. O objetivo √© envolver a audi√™ncia “documentando” como √© feita uma avalia√ß√£o facial. O porqu√™ dessa informa√ß√£o ser importante, como melhorar os estigmas do envelhecimento e finalizando com um v√≠deo com uma vis√£o geral sobre o assunto. Dessa forma, constr√≥i-se autoridade sobre o tema que pode ser confirmada pelo curr√≠culo acad√™mico do autor.

Fontes:

  1. Jab, Jab, Jab, Right Hook: How to Tell Your Story in a Noisy Social World Edici√≥n Kindle –¬†Gary Vaynerchuk
  2. : https://tirasarmandinho.tumblr.com/
  3. https://i.pinimg.com/originals/ee/91/7c/ee917c5cce488c53f7440f864128495f.jpg
  4. Mendelson B, Wong C-H. Changes in the Facial Skeleton With Aging: Implications and Clinical Applications in Facial Rejuvenation. Aesthetic Plastic Surgery. 2012;36(4):753-760. :10.1007/s00266-012-9904-3.

Gostou do nosso conte√ļdo?¬† Ent√£o, entre em contato conosco atrav√©s das nossas redes sociais!

‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď

‚ú欆Deixe seu coment√°rio

ūüďʬ†Compartilhe com os amigos

ūüēĶ¬†E nos siga nas redes sociais

‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď ‚Äď

ūüŹ†¬†SITE:¬†www.gestaods.com.br

ūüĎćūüŹĽ¬†FACE:¬†https://www.facebook.com/gestaods/

ūüď∑¬†INSTA: @gestaods ‚Ästhttps://www.instagram.com/gestaods/

ūüďį¬†BLOG:¬†http://blog.gestaods.com.br/

ūüĎ©‚Äćūüíľ¬†LINKEDIN:¬†https://www.linkedin.com/company/gestao-ds

ūü镬†YOUTUBE:¬†https://www.youtube.com/channel/gestaods

David Sena

Cirurgi√£o Pl√°stico Autor do livro ‚ÄúO que voc√™ precisa saber sobre Cirurgia Pl√°stica‚ÄĚ CEO Gest√£oDS Investidor-anjo em health tech

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *